27 de dez de 2017

FILME - SING - Quem Canta Seus Males Espanta

Direção: Garth Jennings
Duração: 108 minutos
Ano: 2016
Classificação: Livre
Gênero: Animação, Família


Sinopse: Um empolgado coala chamado Buster decide criar uma competição de canto para aumentar os rendimentos de seu antigo teatro. A disputa movimenta o mundo animal e promove a revelação de diversos talentos da cidade, todos de olho nos 15 minutos de fama e nos US$ 100 mil dólares de prêmio.




O coala Buster resolve criar uma competição de canto para salvar seu teatro da falência. Os preparativos iam bem até que, por um erro da secretária, os panfletos são impressos anunciando um prêmio de 100 mil dólares para o vencedor, quando era pra ser de mil dólares apenas. Buster deixa esse “probleminha” para resolver mais tarde.



Adorei a secretária, uma iguana caolha, simplesmente hilária! Foi ela quem causou a confusão com os panfletos, sem querer.


A porco-espinho adolescente roqueira é tudo de bom. E a elefanta tímida com uma voz linda, também. Os personagens são engraçados e fofos.



Sing me lembrou muito o filme Zootopia, achei os animais bem parecidos. Apesar de não ter nenhuma grande novidade, gostei do filme. É leve e divertido para assistir com a família. As músicas são bem chicletes, fáceis de agradar.

20 de dez de 2017

A GAROTA NO TREM - Paula Hawkins

Editora: Record
Ano: 2016
Páginas: 378
ISBN: 9788501075680


Sinopse: Todas as manhãs, Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio por galpões, caixas d’água, pontes, casebres e aconchegantes casas vitorianas. Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Jason –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida. Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos. 

O livro conta a história de três mulheres bem diferentes, mas com algumas coisas em comum. De uma forma surpreendente, as três estão relacionadas a um acontecimento chocante. A narrativa, em primeira pessoa, é feita pelas três mulheres, em capítulos intercalados.

A protagonista é Rachel. Alcoólatra, deprimida e desempregada, Rachel pega o trem todas as manhãs, fingindo ir trabalhar. Da janela do trem, observa a casa que um dia dividiu com seu marido Tom. Rachel também costuma observar um casal que mora na mesma rua. Como ela não tem vida própria, fica encantada com a vida do casal, que parece perfeita.

Ana é a segunda mulher de Tom. Os dois estão morando na casa que foi de Rachel. Ana está sempre estressada e preocupada porque Rachel vive perturbando a vida deles, principalmente quando bebe. Ana teme por sua filha pequena.

Megan é casada com Scott. Mesmo tendo certeza do amor de Scott, Megan está sempre insatisfeita e inquieta. Ela esconde um grave segredo do passado.

Rachel sempre achou que Megan e Scott formavam um casal perfeito, até ver algo inesperado da janela do trem. Pouco depois, Megan desaparece misteriosamente. Rachel, querendo ajudar, vai à polícia contar o que viu e também entra em contato com Scott. Cada vez mais, Rachel se envolve no caso.

Não consegui simpatizar com nenhuma das três mulheres, são todas muito instáveis. Rachel enche a cara, apronta todas e depois fica pedindo perdão pelas bobagens que fez. Isso sem falar que se mete demais na vida dos outros. Ana é muito medrosa e sem atitude. Megan é uma irresponsável, que não sabe o que quer da vida.

Apesar de não ter simpatizado com as personagens, gostei muito do livro. O suspense é muito bom. São vários segredos e você só entende a conexão no final. No decorrer da leitura, nos deparamos com pistas bem sutis sobre a verdade, mas também há algumas informações que estão lá só para confundir. Recomendo a leitura! Estou ansiosa para assistir ao filme!

13 de dez de 2017

SÉRIE - 13 REASONS WHY

Criação: Brian Yorkey
Ano: 2017
Gênero: Drama

13 reasons

Sinopse: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker, uma colega de classe e antiga paquera, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.


13 porques


A série da Netflix é baseada no livro de Jay Asher. Não li o livro, mas fiquei muito curiosa com a premissa da série e resolvi assistir. Hannah, uma garota de 17 anos, que se suicidou, deixou fitas com gravações para várias pessoas conhecidas. As fitas contêm as 13 razões que a levaram a cometer suicídio.

Desde o primeiro episódio, acompanhamos Clay, que era apaixonado por Hannah, ouvindo as fitas. Quase todos os outros personagens citados nas gravações, já as ouviram. A maioria dos citados, são alunos da mesma escola de Hannah. A cada fita, Hannah explica um porquê, e Clay fica aflito, querendo tirar satisfações e se vingar de cada pessoa que prejudicou a garota de alguma forma.


13 reasons


Clay é bonzinho, mas é meio idiota também. Ele fica querendo fazer justiça por Hannah, mas não toma nenhuma atitude concreta. Fica com medo de ouvir as fitas e fica pedindo spoiler para Tony, que já ouviu tudo. O amigo ainda tem que ficar tomando conta dele para que não faça bobagens.




As histórias de Hannah são bem sinistras e chocantes. É muita coisa para uma garota de 17 anos! A sinopse e os comentários na internet dão a entender que Hannah sofreu bullying. Mas não sei se é bem isso. As situações são muito diferentes e a maioria aconteceu fora da escola. Então, não sei se pode-se dizer que é bullying. É claro que os colegas e amigos de Hannah são uns escrotos, mas ela também não foi muito esperta. No final, tendo passado por tudo o que passou e conhecendo o caráter dos colegas, ela toma uma atitude completamente estúpida. Como ela pôde fazer uma coisa dessas?! Por causa dessa atitude imprudente, acontece o pior… E este foi o principal motivo para o suicídio.




As colegas de Hannah são todas umas vadias egoístas. Os garotos também são uns machistas imbecis (aquele Bryce é um asco!). Outro personagem que me irritou bastante foi o conselheiro da escola. Que babaca idiota que só pensa na própria carreira e quer que a escola ganhe o processo de qualquer jeito. Fiquei curiosa para saber o que acontece com ele no final. Tomara que tenha uma segunda temporada!