29 de ago de 2018

OBJETOS CORTANTES - Gillian Flynn

Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 256
ISBN: 9788580576580




Sinopse: Camille Preaker é repórter em Chicago e, a pedido de seu editor, Frank Curry, retorna a sua cidade natal para investigar um mistério envolvendo a morte de uma menina e o desaparecimento de outra. Curry acredita se tratar de um caso de assassinatos em série que, com uma cobertura perspicaz, daria prestígio e destaque ao jornal. Hospedada na casa da família, Camille precisa reaprender a conviver com a mãe, o padrasto e a meia-irmã, além de lidar com as memórias difíceis de sua infância e adolescência que tanto quis esquecer. Enquanto trabalha para descobrir a verdade por trás desses crimes violentos e enviar a matéria para o jornal, Camille acaba se identificando, até demais, com as jovens vítimas. Assim, para terminar o trabalho, manter a sanidade intacta e sobreviver à estadia na cidade natal, a repórter terá que montar o quebra-cabeça psicológico do próprio passado e confrontar o que lhe aconteceu tantos anos antes.

Quando a família é sua pior parte!

Nossa protagonista e narradora, Camille, tem sérios problemas psicológicos. Ela se corta desde a adolescência e, por causa disso, está com o corpo todo marcado. Saiu do hospital psiquiátrico há pouco tempo. Percebemos logo que é uma pessoa complicada, cheia de traumas.


Camille é repórter de um jornal em Chicago. Seu chefe a manda passar uns dias em Wind Gap, sua cidade natal, para cobrir o assassinato de uma garota e o sumiço de outra. Ao que tudo indica, pode ser obra de um serial killer. Voltar para a cidade natal é a última coisa que Camille quer na vida, mas o chefe a convence de que cobrir este caso será bom para sua carreira.

Quando a repórter chega na casa da família, é recebida friamente pela mãe neurótica, Adora. Além da mãe, moram na casa o padrasto, Alan, e a meia-irmã, Amma. Percebemos logo que há algo muito errado naquela casa. É uma família tóxica, doente, pirada. Ninguém bate bem da cabeça. Alan é muito estranho, muito caladão. Amma é mais esquisita ainda. Está com treze anos, mas age como um bebê na frente da mãe e, quando está com as amigas, age como uma garota mais velha. Camille percebe maldade no jeito da meia-irmã, na forma como ela domina e humilha as outras meninas do grupo.

Além da própria família, os moradores da cidade também são muito esquisitos. Parece que todos escondem segredos. Camille começa a entrevista-los para a reportagem, mas acaba mais envolvida com os acontecimentos do que gostaria. Principalmente quando se envolve com o investigador do caso, Richard. Após a segunda garota ser encontrada morta, a situação fica ainda mais tensa. As suspeitas pairam sobre os moradores da cidade.

O final é bem chocante, com uma reviravolta surpreendente no último capítulo. Adorei e super recomendo o livro!


Da mesma autora de Garota Exemplar, é mais um thriller psicológico tenso e impactante. Enquanto Garota Exemplar virou filme, Objetos Cortantes virou série na HBO. Estou assistindo e achando bem interessante!

22 de ago de 2018

FILME - MÃE!

Direção: Darren Aronofsky
Duração: 122 minutos
Ano: 2017
Classificação: 16 anos
Gênero: Suspense



Sinopse: Um casal vive em um imenso casarão no campo. Enquanto a jovem esposa (Jennifer Lawrence) passa os dias restaurando o lugar, afetado por um incêndio no passado, o marido mais velho (Javier Bardem) tenta desesperadamente recuperar a inspiração para voltar a escrever os poemas que o tornaram famoso. Os dias pacíficos se transformam com a chegada de uma série de visitantes que se impõem à rotina do casal e escondem suas verdadeiras intenções.

Minha expectativa era de assistir um suspense com uma pitada de terror, mas não é nada disso. O telespectador é enganado no início, pois parece ser um suspense, mas o filme começa a desandar e a ficar cada vez mais sem sentido. O final é um horror (em todos os sentidos!). Se a intenção era chocar, confundir e criar polêmica, o diretor conseguiu. Mas não gostei.

Para resumir, não entendi patavinas. Depois de assistir e não entender nada, procurei explicações na internet. Só depois de ler as explicações é que entendi alguma coisa. Apesar dos esclarecimentos, continuo achando de mau gosto. Para mim, é um daqueles filmes que eu gostaria de "desver" e ocupar o tempo que gastei com coisas mais interessantes. O único ponto positivo é a atuação da Jennifer Lawrence, um desperdício num filme desses...

Conforme a explicação (vocês podem procurar na internet) o filme faz uma analogia à Bíblia, retratando Deus, Adão e Eva, a Mãe Natureza, etc.

Como já falei antes, não gostei, achei tosco, horroroso e desnecessário. Um filme sobre o qual você precisa procurar explicações depois de assistir, não atingiu seu objetivo. Se mesmo assim você quiser assistir, aconselho a procurar os esclarecimentos antes, para entender melhor a mensagem que o diretor quer passar.

E você, já assistiu? O que achou?

8 de ago de 2018

FILME - IT - A COISA

Direção: Andy Muschietti
Duração: 135 minutos
Ano: 2017
Classificação: 16 anos
Gênero: Terror, Suspense




Sinopse: Um grupo de sete adolescentes de Derry, uma cidade no Maine, formam o auto-intitulado "Losers Club" - o clube dos perdedores. A pacata rotina da cidade é abalada quando crianças começam a desaparecer e tudo o que pode ser encontrado delas são partes de seus corpos. Logo, os integrantes do "Losers Club" acabam ficando face a face com o responsável pelos crimes: o palhaço Pennywise.


Um filme baseado em um livro de Stephen King tem que ser bom! Confesso que não li o livro porque é muito grande (e também porque ainda tenho um pouco de medo dos livros do King). Mas, de tanto ouvir falar e ler sobre o filme, fiquei curiosa para assistir.

it a coisa
Pennywise

A trama se passa na década de 80. Tudo começa com o desaparecimento do irmão caçula de Bill. O menino é devorado por um palhaço maligno, chamado Pennywise. Um ano depois, outras crianças continuam desaparecendo. Parece que os adultos não se importam e não fazem nada a respeito.


Bill e seus amigos são perseguidos pelos bad boys da escola. Quando percebem que outros garotos também sofrem bullying, acabam ajudando-os a se livrar dos agressores e ficando amigos deles. Assim, forma-se um grupo de seis garotos e uma garota. Beverly é a única garota do grupo, adorei essa mocinha! Os meninos do grupo também a adoram... O filme consegue mostrar de forma clara a personalidade e os problemas familiares de cada um dos sete amigos. E não são poucos os problemas que eles têm...

it a coisa
Beverly

O grupo começa a ser assombrado pelo palhaço Pennywise e decide mata-lo antes que ele mate mais crianças. Esse palhaço é medonho! Como se não bastasse, pode transformar-se em qualquer coisa, principalmente nos seus piores medos. Alimenta-se do medo. O grupo de amigos percebe que precisa estar junto para conseguir vencê-lo. Se você não sentir medo, ele não pode te matar.


É um filme de terror, mas tem momentos de drama, comédia e até romance. Adorei! Estou aguardando ansiosa pela continuação!

bill e beverly
Bill e Beverly

1 de ago de 2018

COMO SOBREVIVER NO EXTERIOR - Simone Póvoa e Tadeu Salgado

Editora: Alicanto
Ano: 2017
Páginas: 216
ISBN: 9781548153441



Sinopse: "Como (sobre)viver no exterior" é um guia que irá ajudar o leitor a transformar o desejo de ir para fora do Brasil em realidade. Recheado de dicas importantes e inusitadas, e também de histórias de viagens e conclusões que só tira após diversas experiências no exterior, este livro é um guia que acompanha o leitor desde o momento em que ele decide ir para fora do país até o momento em que ele decide voltar (se este momento chegar), passando pela compra de passagens, arrumação da mala, primeiros dias em terras estrangeiras etc. Seja para quem só quer mochilar ou turistar, seja para quem quer ir morar, este livro é um manual imprescindível para que o leitor faça as escolhas certas para seu caso e aproveite ao máximo a experiência.

Um guia para quem quer ir para fora do Brasil por um tempo... ou para sempre!

O livro foi escrito por dois autores que possuem grande experiência com o exterior. Simone viajou muito e atualmente mora nos EUA. Tadeu é um mochileiro experiente e dá ótimas dicas para viagens com poucos recursos (é dono do canal Viajante Pão Duro). O livro é um manual muito útil para qualquer pessoa que pretende ir para o exterior, seja para ficar pouco ou muito tempo.

Os autores dão dicas valiosas baseadas em experiências próprias sobre tudo o que devemos levar em conta ao embarcar para outro país. Os mais diversos aspectos, coisas que nem passam pela nossa cabeça, mas são importantes.

Indico para todas as pessoas que sonham em viajar para o exterior algum dia, tanto para aqueles que pretendem apenas conhecer, como para aqueles que pretendem ficar por um tempo maior, ou até mudar-se para lá definitivamente. As dicas valem para todos. É um ótimo presente para dar a algum amigo ou parente que planeja viajar para outro país.


Uma das primeiras orientações dadas pelos autores é sobre o motivo da viagem:

Saber o motivo pelo qual você está desejando sair do país por um tempo é importante porque é nele que deverá se basear a sua escolha do tipo de experiência que você vai ter.” (p.22)

O livro traz, desde conselhos sobre como fazer a mala, até instruções sobre quais documentos serão necessários para viajar e como obtê-los. Ensina como preparar sua chegada ao outro país, para que você não fique “perdido”, como lidar com as pessoas daquele país e como comunicar-se. Sobre a importância de aprender outra língua, os autores explicam:

Há uma razão muito importante para se tentar aprender ao menos um pouco da língua falada no país onde você estiver: para se aprender um novo modo de pensar e de viver. Aprender uma língua não é simplesmente decorar palavras e seus significados. É muito mais que isso. Entrar em contato com uma nova língua é entrar em contato com toda uma nova cultura. (...) Cultura é um modo de se estar no mundo e de se viver a vida. E só se entra verdadeiramente em contato com uma cultura quando se aprende a língua que a sustenta. ” (p. 106)

Uma viagem é sempre uma experiência incrível. Com as viagens adquirimos coisas que ninguém poderá nos tirar: vivência e conhecimento. 

Saiba mais sobre o livro aqui