26 de nov de 2014

FROZEN - Uma aventura congelante

Direção: Chris Buck, Jennifer Lee
Duração: 102 minutos
Ano: 2014
Classificação: 3 anos
Gênero: animação, aventura, família

Sinopse: A caçula Anna (Kristen Bell/Gabi Porto) adora sua irmã Elsa (Idina Menzel/Taryn Szpilman), mas um acidente envolvendo os poderes especiais da mais velha, durante a infância, fez com que os pais as mantivessem afastadas. Após a morte deles, as duas cresceram isoladas no castelo da família, até o dia em que Elsa deveria assumir o reinado de Arendell. Com o reencontro das duas, um novo acidente acontece e ela decide partir para sempre e se isolar do mundo, deixando todos para trás e provocando o congelamento do reino. É quando Anna decide se aventurar pelas montanhas de gelo para encontrar a irmã e acabar com o frio. 

Adoro animações! Desde criança adorava as histórias das princesas da Disney. Lembro que O Rei Leão foi muito marcante para mim. Mesmo depois de adulta, continuo me divertindo com Shrek, A Era do Gelo, Rio, entre muitos outros.

Estava esperando ansiosa para ver Frozen, principalmente depois que o filme ganhou o Oscar de melhor música ("Let it go" é linda!).

Bem, o que posso dizer de Frozen? Achei a princesa Elza é meio chatinha. Para mim, a protagonista da história foi a princesa Anna. Mas as minhas figuras preferidas são o boneco de neve Olaf e a rena Sven. Adorei os dois! Dei muitas risadas com eles.

Vocês já repararam que nas animações sempre tem personagens engraçados: Timão e Pumba (O Rei Leão), Burro e Gato de Botas (Shrek), Sid e Scrat (A Era do Gelo), os Minions (Meu Malvado Favorito). Essas figurinhas engraçadas e atrapalhadas sempre me cativam mais que os protagonistas.

Por causa de Olaf e Sven, já vale a pena assistir Frozen!

19 de nov de 2014

ANJO DA ESCURIDÃO - Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe

Editora: Record
Ano: 2012
Páginas: 400
ISBN: 9788501099334 

sidney sheldon

Sinopse: Um rico negociador de artes é brutalmente assassinado em sua mansão em Hollywood Hills. No chão do quarto, uma verdadeira cena de horror: Andrew Jakes está amarrado ao corpo nu de sua jovem e bela esposa, violentamente espancada e estuprada. O detetive Danny McGuire, comovido com a tragédia da linda e vulnerável mulher, empenha-se na busca do culpado. Mas todos os seus esforços mostram-se em vão e Angela Jakes desaparece misteriosamente depois de doar sua milionária herança. Anos depois, Danny está casado e trabalha como agente da Interpol na França quando é procurado por Matt Daley, filho do homem cruelmente assassinado. Danny não hesita em seguir as promissoras evidências que apontam para um único suspeito: uma brilhante assassina que está sempre um passo à frente de todos e que pode estar a um triz de encontrar sua nova vítima. 

Não é Sidney Sheldon quem escreve, apesar de o nome dele estar bem grande na capa do livro, quem escreve é Tilly Bagshawe. Pode-se dizer que a autora segue o estilo dele.

A história é boa. É um suspense policial com um serial killer e muitas mortes. Para quem gosta do estilo dos livros de Sheldon (como eu), a leitura é interessante. Mas nem se compara a livros como "O outro lado da meia noite", "Lembranças da meia noite", "O reverso da medalha", entre tantas outras obras de Sheldon. Mas, podemos dizer que "dá pro gasto".

Nenhuma das figuras masculinas da história me cativou. O detetive Danny McGuire é um cara frustrado por não ter conseguido solucionar o primeiro caso de assassinato. Apesar de estar casado, fica perturbado pela lembrança de Angela (esposa do homem assassinado). Só posso dizer que ele não foi muito esperto... Também temos Matt, que é uma figura um tanto patética (leiam, assim vocês entenderão o porquê).

Não posso contar muito sobre as características dos personagens porque assim estaria revelando parte do suspense. Só posso dizer que uma parte do mistério fica fácil desvendar, muito antes de ser revelado no livro. Outra parte já é um pouco mais difícil de deduzir. No final do livro, a autora ainda nos surpreende com uma revelação. Aí ficamos nos perguntando: "será??!!". O final nos deixa com um ponto de interrogação bem grande sobre os assassinatos e todo o resto. Até poderia ter uma continuação da história, será que vai ter?
   

12 de nov de 2014

Trilogia ESCURIDÃO, SOMBRA e LUZ - Elena P. Melodia

Editora: Suma de Letras


livros


Sinopse: Alma tem 17 anos, e nada em sua vida difere das meninas de sua idade: escola, programas com seu grupo de amigas, tédio e impaciência na relação com a família. Até o dia em que vê um caderno roxo numa vitrine e, por puro impulso, o compra. A partir daí, acontecimentos horripilantes começam a se suceder. Todos descritos em detalhes nas páginas do caderno...antes de acontecerem. Com a letra dela. Que não se lembra de ter escrito nada. Quem é Alma, na verdade? Quem é Morgan, seu misterioso amigo de escola, que parece ter respostas para o que está acontecendo? E como impedir que as forças do mal se aproximem dela e de quem ela ama? 

 
Alma faz parte de um grupo de amigas adolescentes, meio esquisitas e de personalidades bem diferentes, mas muito unidas. Todas parecem esconder segredos. Aos poucos elas começam a ter problemas. Alma tenta ajudá-las, mas também está envolvida em seus próprios problemas. Uma série de assassinatos está acontecendo na cidade e Alma parece ter uma estranha relação com eles. Ela não sabe em quem pode confiar, mas seu amigo Morgan parece ter algumas respostas.

No primeiro livro, como o próprio título já diz, ficamos na escuridão. É cheio de mistérios e a maior parte não é solucionada até o final.

No segundo livro, o leitor continua na "escuridão" até passar da metade do livro. Só dali em diante Alma começa a descobrir a verdade. Nos capítulos em que Morgan lhe conta e mostra a verdade, fiquei me perguntando: o quê?!?!? Não acreditei no que estava lendo, são coisas muito absurdas... Mas, tenho que admitir que são bem diferentes, criativas.

Não posso falar do que se trata, pois é justamente o suspense e o mistério em torno da verdade que torna a leitura interessante. Mas posso dizer que se trata de uma coisa sobrenatural (não são vampiros e nem lobisomens!).

No terceiro livro, que encerra a trilogia, a história chega ao seu desfecho e mais alguns mistérios são revelados. Sobre o final, só posso dizer que fiquei um pouco frustrada. Confesso que esperava mais, algum acontecimento grandioso... fiquei com a impressão de que ficou faltando algo.

Algumas cenas da trilogia são bem fortes, há muitas mortes, portanto, pessoas muito sensíveis não devem ler. Indico para quem curte fantasias e mistérios que envolvem adolescentes e para quem está procurando uma leitura sobre um tema diferente.

5 de nov de 2014

HOMEM DA LEI - Diana Palmer

Editora: Harlequin Books
Ano: 2010
Páginas: 286 
ISBN: 9788576873211 

Sinopse: Quando Garon Grier, agente do FBI, comprou um rancho em Jacobsville, desejava somente resolver alguns problemas de família. Afinal, ele era um lobo solitário, e não estava em busca de amor. Grace Carver foi criada nessa pequena cidade do Texas, e, devido a problemas na juventude, jamais pensou em se casar... até conhecer Garon. Duas pessoas unidas pela investigação mais difícil da carreira dele: a caçada a um assassino de crianças. Agora, Garon, um homem da lei, e Grace, uma mulher com marcas do passado, enfrentarão um louco à solta ao mesmo tempo em que se esforçam para apagar cicatrizes do coração.
Por ser um romance de banca, confesso que a história me surpreendeu por ter elementos diferentes, muito além do romance. É uma leitura repleta de suspense. O mocinho é um agente do FBI e está investigando um serial killer. A mocinha tem um segredo do passado, que ficamos tentando descobrir. Estes itens dão um tempero especial ao romance dos dois, tornando a leitura mais interessante.

Garon não é um investigador tão esperto, pois eu desvendei o mistério muito antes dele (deve ser porque eu leio muito suspense policial...). Ele também tomou algumas atitudes idiotas em relação à mocinha, que a fizeram sofrer. Isso não foi muito inteligente da parte dele. Tirando isso, até que Garon é um cara legal.

Grace é uma moça inteligente e sensível. Teve uma vida muito difícil. É uma típica heroína sofredora. Apesar de tudo o que sofreu na vida, não se deixou abater e não fica se lamentando. Por isso simpatizei muito com ela. Ela também dá umas boas lições de moral em Garon, nas vezes em que ele é meio idiota.

Recomendo o livro para quem gosta de romances de banca com uma pitada de suspense.