12 de out de 2017

DIA DAS CRIANÇAS - Brinquedos que marcaram época


Olá, queridos leitores!
 
Em primeiro lugar:
Feliz Dia das Crianças para todos que ainda mantém viva a criança que um dia foram!

 
No ano passado, fiz um post com os brinquedos que marcaram a minha infância. Este ano, resolvi recordar alguns brinquedos que marcaram época (e a infância de muitos de vocês!).
 

Banco Imobiliário
Quem nunca jogou?
(nunca tive, mas joguei na casa dos outros)


Chuquinha 

Qual a menina que não teve uma dessas?
(tenho uma guardada até hoje...)
 
 
 Fofolete
Nunca tive, mas achava tão fofa...


 Bicho peludo (não sei o nome dele...)
Sempre quis um desses (ganhei um na adolescência...)
 
Mamíferos 
Quem não colecionou esses mamíferos fofos?
(juntei nove, e vocês, quantos?)

 

Tantos brinquedos legais...
Vocês lembraram de mais algum brinquedo que marcou?
Compartilhem nos comentários!
 
Ficarei feliz em recordar junto com vocês!



 

4 de out de 2017

SOMBRAS DE UM VERÃO - Tilly Bagshawe

Editora: Record
Ano: 2013
Páginas: 480
ISBN: 9788501404305


Sinopse: Quando Alexia De Vere decidiu que chegaria ao topo, ela sabia que precisaria de uma boa dose de coragem, obstinação e um talento indiscutível. Mas a atual ministra do Interior e esposa de um dos aristocratas mais tradicionais da Grã-Bretanha esconde sua cota de sujeira embaixo do tapete. Roxie, a filha, está confinada em uma cadeira de rodas. O herdeiro Michael acaba de abandonar Oxford para se aventurar como empresário. Seu único conforto é o generoso e devotado marido. Quando a pressão por estar no topo já parece o suficiente, ela ainda tem de lidar com o turbilhão que um dia varreu e lavou quem ela foi, e agora volta, mais forte que nunca, para afogar e destruir Alexia, a mulher do presente.

O livro começa contando a história de Toni, que é uma garota riquinha, muito bonita e muito assanhada também. Sem querer, ela acaba responsável pela morte de um garotinho. Mas Billy, um garoto de origem pobre, apaixonado por Toni, assume a culpa e vai preso. Toni foge e muda de nome.

A narrativa dá um salto de mais de quarenta anos. Toni, que agora se chama Alexia, é uma senhora de mais de sessenta anos, com uma esplêndida carreira política. Rica, casada e com dois filhos adultos, Toni continua atormentada pelo passado.

É uma mistura de drama com mistério. A protagonista tem sérios desvios de caráter. Não consegui torcer por ela. A única personagem que me cativou um pouco foi Summer. É uma menina bacana que se apaixona pelo filho da protagonista, um cara mimado e mulherengo. Summer parece ser a única personagem sã da trama. E tem caráter. Os outros são capazes de cometer atrocidades e ainda acham que estão certos.

Sabe esses livros que você tem a impressão de que os protagonistas nadam, nadam e morrem na praia? Toni fez tudo aquilo para terminar do jeito que terminou? É uma boa lição de moral. Significa que não adianta fugir das nossas obrigações, é melhor enfrentar.

De uma forma geral, gostei do livro. É cheio de reviravoltas e mistérios, mas nem todos são explicados no final. Alguns personagens ficaram meio soltos no enredo e algumas coisas não ficaram bem claras. Apesar disso, achei esse livro melhor do que Em busca de um novo amanhã onde a autora tentou continuar a história de Sheldon. Prefiro que ela escreva suas próprias histórias e crie seus próprios personagens. Tilly também poderia parar de usar o nome de Sheldon na capa dos livros (isso vai ser difícil, porque vende livros, mas não acho certo fazer isso com os leitores, é uma forma de enganar).

27 de set de 2017

PROCURANDO DORY - FILME

Direção: Andrew Stanton, Angus MacLane
Duração: 103 minutos
Ano: 2016
Classificação: Livre
Gênero: Animação, Comédia


Sinopse: Um ano após ajudar Marlin a reencontrar seu filho Nemo, Dory tem um insight e lembra de sua amada família. Com saudades, ela decide fazer de tudo para reencontrá-los e na desenfreada busca esbarra com amigos do passado e vai parar nas perigosas mãos de humanos. 

Quem assistiu Procurando Nemo, lembra da engraçada e fofa Dory. A peixinha desmemoriada e atrapalhada roubou a cena tantas vezes que acabou ganhando seu próprio filme.



Se Dory já é fofa em sua versão adulta, imaginem na versão criança. É muita fofurice! Ela sofre de perda de memória recente e o filme aborda esse assunto.

De repente, Dory lembra dos seus pais e da sua infância. A partir daí, parte em uma jornada para reencontrar os pais. Nemo e Marlin ajudam a amiga. Em meio a muitas confusões, Dory faz novas amizades e reencontra velhos amigos que havia esquecido.



Além de alguns personagens do primeiro filme, também surgem novos personagens. Todos são cativantes, o meu destaque especial vai para o polvo Hank. Ele é rabugento, mas tem um bom coração e protagonizou cenas hilárias!



O filme todo é muito divertido. Vale a pena assistir pela lição de amizade e de amor à família. Recomendo para crianças e adultos. Não é nenhuma superprodução, mas é um filme que faz bem para a alma!

22 de set de 2017

É PRIMAVERA!


Viva! Chegou a Primavera!


Alegrem-se! 


primavera


Para mim, é a estação mais alegre do ano. Os pássaros voltam a cantar, as flores desabrocham e os dias voltam a ser ensolarados. Não me importo de passar um pouco de calor.




Também é um período de muitos feriados e das festas de final de ano. É tempo de confraternizar e agradecer por estarmos vivos e por tudo o que temos.

E vocês? Gostam da Primavera?


6 de set de 2017

CAIXA DE PÁSSAROS - Josh Malerman

Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 272
ISBN: 9788580576528


Sinopse: Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler. Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.

Não abra os olhos.

Imagine se, de repente, as pessoas começarem a enlouquecer, matar quem está próximo e depois tirar a própria vida das formas mais horríveis possíveis.

Inicialmente, foram casos isolados. Mas em pouco tempo, o número de casos aumentou assustadoramente, e agora, parece que já afetou o mundo inteiro!

Não se sabe muito sobre esse surto. Tudo o que se sabe é que, antes de enlouquecer, as pessoas enxergam alguma coisa. Uma criatura tão incrível que a mente humana não consegue compreender e por isso enlouquece.

A protagonista dessa história é Malorie. Após sua irmã suicidar-se, Malorie fica sozinha e grávida. Com medo, se junta a outras pessoas que estão abrigadas em uma casa. Na luta pela sobrevivência, apesar da tensão, essas pessoas acabam criando laços de confiança e afeto.

Todas as janelas da casa estão fechadas com cobertores. Sempre que precisam sair da casa, os moradores vendam os olhos. O medo de encontrar com uma das criaturas é imenso.

Os capítulos se alternam entre o passado e o presente. No presente, Malorie está com duas crianças de quatro anos em um barco descendo o rio (todos com os olhos vendados!) tentando chegar a um local seguro onde há outras pessoas vivendo. No passado, acompanhamos todos os acontecimentos da casa até chegar ao ponto em que Malorie está agora.

Malorie é muito corajosa, mas algumas coisas que ela faz são muito impossíveis! Achei algumas partes do livro um pouco forçadas. Também achei estranho que, em nenhum momento, as pessoas perguntam como são as tais criaturas, não pedem uma descrição para quem as viu (antes de a pessoa enlouquecer, claro!).

O livro é perturbador do início ao fim. Há mais aflição do que suspense. Algumas coisas são reveladas já no começo. Dessa forma, o leitor já sabe o que vai acontecer, mas não sabe quando e como. E isso é aterrorizante! Alguns mistérios são revelados somente no final. E alguns permanecem sem desfecho, ficando a critério do leitor imaginar o que aconteceu. Recomendo o thriller para quem está em busca de uma leitura tensa e perturbadora.

30 de ago de 2017

FIQUE COMIGO - Harlan Coben

Editora: Arqueiro
Ano: 2013
Páginas: 288
ISBN: 9788580411294 

 
Sinopse: A vida de Megan Pierce nem sempre foi um mar de rosas. Houve uma época em que ela nunca sabia como seria o dia seguinte. Mas hoje é mãe de dois filhos, tem um marido perfeito e a casa dos sonhos de qualquer mulher e, apesar disso, se sente cada vez mais insatisfeita. Ray Levine já foi um fotógrafo respeitado, mas agora, aos 40 anos, tem um emprego em que finge ser paparazzo para massagear o ego de jovens endinheirados obcecados em se tornar celebridades. Broome é um detetive incapaz de esquecer um caso que nunca conseguiu resolver: há 17 anos, um pai de família desapareceu sem deixar rastros. Todos os anos ele visita a casa em que a mulher e os filhos do homem esperam seu retorno. Essas pessoas levam vidas que nunca desejaram. Agora, um misterioso acontecimento fará com que seus caminhos se cruzem, obrigando-as a lidar com terríveis consequências de fatos que pareciam enterrados havia muito tempo. E, à medida que se deparam com a faceta sombria do sonho americano - o tédio dos subúrbios, a angústia da tentação, o desespero e os anseios que podem se esconder nas mais belas fachadas -, elas chegarão à chocante conclusão de que talvez não queiram deixar o passado para trás. 

Três pessoas estão ligadas ao desaparecimento de um homem há 17 anos: Broome, Megan e Ray.

Broome é o detetive que até hoje não se conforma por não ter solucionado o caso. Ainda visita a esposa do desaparecido. Ninguém sabe o que aconteceu com seu marido, pode estar vivo ou morto.

Megan é uma dona de casa de classe média alta com dois filhos, uma casa bonita e um marido atencioso. Tem tudo para ser feliz, mas sente falta de algo. Sente falta da vida que levava antes. Megan precisou fugir para salvar sua vida e proteger Ray. Os problemas recomeçam quando ela decide fazer uma visita ao passado.

Ray é um fotógrafo deprimido e fracassado. Algo aconteceu em sua vida que fez com que ele desistisse de ser feliz. O passado volta à tona quando alguém rouba sua câmera fotográfica. A pessoa que a roubou estava atrás de uma fotografia. A foto foi tirada no mesmo local do desaparecimento de 17 anos atrás. O homem que está na foto também sumiu.

Após o desaparecimento de um segundo homem, o detetive Broome se vê diante de uma série de perguntas: Será que existe um assassino em série? Será que os homens desaparecidos ainda estão vivos? Será que o primeiro voltou para se vingar? Será que Ray é o culpado?

No decorrer da investigação, surgem outros casos de desaparecimento e também algumas mortes misteriosas. Pessoas inocentes se machucam ou morrem.
 
Nenhum dos personagens conseguiu cativar-me. Talvez porque todos são anti-heróis: cometem muitos erros e são cheios de defeitos. E tomam cada decisão estúpida!

No geral, o suspense é bom. Tinha duas teorias, mas acertei somente uma e consegui solucionar uma parte do mistério, o restante foi uma surpresa. Gostei do livro, porque o autor conseguiu esconder a verdade até o final.

 

23 de ago de 2017

O SEGREDO DO MEU MARIDO - Liane Moriarty

Editora: Intrínseca
Ano: 2014
Páginas: 368
ISBN: 9788580574791



Sinopse: Imagine que seu marido tenha lhe escrito uma carta para ser aberta apenas depois que ele morresse. Imagine também que essa carta revela o pior e o mais profundo segredo dele - algo com o potencial de destruir não apenas a vida que vocês construíram juntos, mas também a de outras pessoas. Imagine, então, que você esbarra nessa carta enquanto seu marido ainda está bem vivo... Cecilia Fitzpatrick tem tudo. É bem-sucedida no trabalho, um pilar de sua pequena comunidade, uma esposa e mãe devotada. Sua vida é tão organizada e imaculada quanto sua casa. Mas uma carta vai mudar tudo, e não apenas para ela: Rachel e Tess mal conhecem Cecilia - ou uma à outra -, mas também estão prestes a sentir as repercussões do segredo do marido dela. Emocionante, O segredo do meu marido é um livro que nos convida a refletir até onde conhecemos nossos companheiros - e, em última instância, a nós mesmos.


A trama gira em torno de três mulheres bem diferentes que têm suas vidas unidas por causa de acontecimentos do passado que refletem no presente.

Cecília é casada com Jean-Paul e tem três filhas. Sua vida parecia perfeita até descobrir o segredo que seu marido guarda há muito tempo. Após a descoberta, Cecília não sabe o que fazer. Por causa dos fatos narrados, não fica difícil para o leitor deduzir qual o segredo de Jean-Paul.

Tess é casada com Will e tem um filho pequeno. Felicity é sua prima e melhor amiga, que está sempre por perto. Tudo ia bem até Will e Felicity revelarem que se apaixonaram. O mundo de Tess desaba. Ela se sente duplamente traída, pelo marido e pela amiga.

Rachel é uma viúva solitária que ama seu netinho. Sua vida perde o sentido quando o filho e a nora avisam que pretendem mudar-se para outro país, levando seu neto. Rachel carrega uma grande dor no peito: perdeu sua filha de 17 anos, assassinada. Nunca superou essa dor. O neto é sua única alegria.

Das três, a minha preferida é Tess. Decidida, mulher de atitude. Logo que descobre a traição, pega seu filho e volta para a casa da mãe. Talvez ela tenha tomado algumas decisões precipitadas... Mas não é mulher de ficar se lamentando.

Cecília é muito controladora e mandona, mas perde o chão após a descoberta do segredo. Não sabe o que fazer. Jean-Paul é um banana, sem atitude, fica totalmente nas mãos de Cecília.

Rachel é muito deprimida e fica com pena de si mesma. Tantos anos após a morte da filha, ainda fica remoendo isso todos os dias. Isso sem falar que ela não deu atenção ao seu marido e ao seu filho.

Não demora muito para que o leitor conheça o segredo de Jean-Paul. Após a revelação, o leitor perceberá como as histórias das três mulheres vão se cruzar.

O final é bem chocante. Nos mostra que guardar segredos pode ter consequências terríveis. Às vezes, os inocentes pagam pelos erros dos outros. Também mostra como a vida das pessoas pode mudar totalmente por causa de detalhes que parecem insignificantes: uma decisão errada, um esquecimento, um atraso...