3 de jun. de 2020

O VILAREJO - Raphael Montes

Editora: Suma de Letras
Ano: 2015
Páginas: 109
ISBN: 9788581053042




Sinopse: Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome.


Li esse livro em formato digital. Já que a biblioteca da minha cidade estava fechada, aproveitei para ler um e-book. Faz tempo que eu estava curiosa para ler, principalmente, porque o autor é brasileiro.

O livro é divido em contos. Cada conto retrata a história de algum morador do vilarejo e está relacionado a um dos sete pecados capitais. Mesmo com histórias diferentes, todos os moradores estão relacionados e ligados de alguma forma. Confesso que fiquei bem chocada, já no desfecho do primeiro conto (um horror!).

Além do terror, o livro também nos faz refletir sobre a natureza humana. Até que ponto as pessoas podem chegar para alcançar seus objetivos? O que são capazes de fazer se ninguém ficar sabendo? Talvez o que mais choca neste livro é justamente o fato de pessoas comuns serem capazes de cometer atrocidades.

Recomendo para quem tem estômago forte e curte um terror. Deixo um aviso: você poderá ter pesadelos!

27 de mai. de 2020

A LISTA NEGRA - Jennifer Brown

Editora: Gutenberg
Ano: 2012
Páginas: 272
ISBN: 9788565383110



Sinopse: O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas.

 “E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama?”

Confesso que fiquei um pouco decepcionada porque o livro aborda muito mais a parte psicológica do que os próprios acontecimentos. Eu esperava uma narrativa linear com o desenrolar dos fatos até o dia da tragédia. A narrativa inicia um tempo após o massacre, e é feita em primeira pessoa por Valerie, que ainda se recupera dos ferimentos.

Valerie era namorada de Nick, o garoto que atirou em professores e alunos da escola. É ela quem narra os acontecimentos que antecederam a tragédia e os detalhes do que aconteceu durante o massacre. Além de lutar para superar o trauma, Val também luta contra a culpa que sente por ser a autora da lista negra.

Acompanhamos Valerie na sua jornada diária para voltar à vida normal. O retorno à escola e o reencontro com colegas e professores sobreviventes, é parte do processo. Além do julgamento das pessoas, Valerie também passa por uma investigação policial sobre o seu envolvimento no tiroteio.

O livro aborda um tema diferente: o bullying nas escolas. A leitura nos faz refletir sobre o comportamento humano; as atitudes, as responsabilidades e o perdão. Até que ponto as vítimas também foram responsáveis pela tragédia? Será que alguém poderia ter evitado? É possível perdoar uns aos outros e a si próprio?

20 de mai. de 2020

O MORRO DOS VENTOS UIVANTES - Emily Brontë

Editora: Lua de Papel
Ano: 2009
Páginas: 292
ISBN: 9788563066022



Sinopse: Na fazenda chamada Morro dos Ventos Uivantes nasce uma paixão devastadora entre Heathcliff e Catherine, amigos de infância e cruelmente separados pelo destino. Mas a união do casal é mais forte do que qualquer tormenta: um amor proibido que deixará rastros de ira e vingança. "Meu amor por Heathcliff é como uma rocha eterna. Eu sou Heathcliff", diz a apaixonada Cathy. 


Como vocês já sabem, este não é o meu estilo de livro preferido. Mas, por ser um clássico, muito aclamado por todos, resolvi ler.

É uma história de amor dramática e trágica, com protagonistas cheios de orgulho, ódio, mágoa e amargura. O orgulho de Cathy separou os dois e o ódio de Heathcliff destruiu a vida de todos. Um amor tóxico que só trouxe infelicidade para quem sentiu e para todos à sua volta. 

A característica mais marcante do livro são seus personagens imperfeitos e cruéis. O sofrimento de Heathcliff é palpável, mas é impossível gostar dele. Os dois são muito egoístas. Cathy é muito mimada. Heathcliff, atormentado por Cathy, atormentou a todos.

A narrativa é pesada com aquela linguagem de época. A trama só conseguiu me prender a partir da metade. Fiquei muitas vezes perplexa e revoltada com a crueldade de Heathcliff, mas precisava saber como terminaria tudo aquilo, por isso, não consegui largar o livro.

Não me deixes só, neste abismo onde não te encontro! Oh! Meu Deus! É indescritível a dor que sinto! Como posso eu viver sem a minha vida? Como posso eu viver sem a minha alma? (pag. 146)

Durante a leitura, tive a sensação de entrar no livro e viajar no tempo. A descrição minuciosa levou-me ao passado. Parecia que eu estava lá, vendo as paisagens do Morro dos Ventos Uivantes e da Granja dos Tordos.

Não me arrependo da leitura. Por incrível que pareça, gostei de todo esse drama e tragédia. O final até surpreendeu-me de forma positiva. Tirando a parte trágica, quem não gostaria de ser tão intensamente amado?

29 de abr. de 2020

ATIVIDADES NA QUARENTENA

Olá, pessoal! 

Como está a quarentena de vocês? Muitas leituras? 
Muitos filmes, séries e lives?

Confesso que não pude ler tanto quanto eu queria. Na minha cidade, a biblioteca foi um dos primeiros lugares que fechou! Ah! Que aflição!

O jeito foi apelar para os e-books. Em breve, vou dividir com vocês algumas das minhas leituras recentes.

Mas como estou em home office, não tenho muito tempo de folga. Divido o tempo livre entre livros, filmes, séries e até algumas lives.


Adoro meu cantinho de home office! Vontade de ficar trabalhando em casa para sempre!

11 de mar. de 2020

A MULHER NA JANELA - A. J. Finn

Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Páginas: 352
ISBN: 9788580418323




Sinopse: Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e... espionando os vizinhos. Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir. Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle?


Não é paranoia se está realmente acontecendo.

Anna Fox é uma psicóloga muito perturbada. É irônico uma psicóloga com problemas psicológicos... Mas, é isso mesmo. Ela sofre de agorafobia, que é o medo de lugares abertos, e não sai de casa de jeito algum.

O livro todo é narrado em primeira pessoa por Anna. Ela nos conta que não vai para a rua há quase um ano. Manda trazer as compras em casa; pede para o inquilino levar o lixo para fora e recebe o psiquiatra e a massagista em casa. Para passar o tempo, fica bisbilhotando os vizinhos e bebendo vinho.

Não sabemos o que aconteceu para ela ficar desse jeito. Mas sabemos que era casada e tinha uma filha. Ao que parece, o marido e a filha estão longe, mas não sabemos o porquê. Anna está sozinha na imensa casa (são cinco andares!).

Anna é uma protagonista imperfeita, faz tudo errado (mistura álcool com remédios controlados e ainda espera melhorar!). Ela também é uma incógnita. No decorrer da leitura, vamos descobrindo os seus segredos.

A rotina de Anna muda quando novos vizinhos, os Russells, se mudam para a casa próxima. Um dia, inesperadamente, Ethan, o filho adolescente, vem visitá-la. No outro, vem a mãe, Jane. Anna gosta dos dois e logo faz amizade com eles.

Em uma das ocasiões em que está bisbilhotando a casa dos Russells, Anna vê Jane sendo esfaqueada por alguém. Mas não consegue ver quem. Ela chama a polícia e tenta vencer sua fobia de sair de casa para socorrer Jane. O problema é que Anna está bêbada e drogada de remédios. Quando chega ao parque, ela desmaia e só acorda no hospital, com a polícia interrogando-a.

A partir daí o mistério aumenta. O marido de Jane, Alistair, nega o acontecido e afirma que a esposa está bem. Mas Anna a viu sendo esfaqueada! O marido traz Jane para a casa de Anna para mostrar que está sã e salva. O problema é que aquela mulher não é a Jane que Anna conheceu! O mais estranho de tudo, é que Ethan confirma que aquela é a sua mãe!

Todos duvidam da sanidade de Anna e a acusam de ter inventado tudo. Ela própria começa a se questionar sobre o que viu e passa a investigar por conta própria, para ter certeza.

Em meio a todo esse mistério, vamos descobrir a verdade sobre o passado de Anna. A narrativa é cheia de reviravoltas. Quando você tem certeza de algo, descobre mais tarde que não era nada daquilo. O final é bem chocante. Adorei todo esse mistério e todas as reviravoltas da trama! É o tipo de suspense que me prende. Nem preciso dizer que estou ansiosa para assistir ao filme, né?

4 de mar. de 2020

UMA SOMBRA NA ESCURIDÃO - Robert Bryndza

Série Detetive Erika Foster - Livro 2
Editora: Gutenberg
Ano: 2017
Páginas: 336
ISBN: 9788582354308



Sinopse: Em uma noite de verão, a Detetive Erika Foster é convocada para trabalhar em uma cena de homicídio. A vítima: um médico encontrado sufocado na cama. Seus pulsos estão presos e através de um saco plástico transparente amarrado firmemente sobre sua cabeça é possível ver seus olhos arregalados. Poucos dias depois, outro cadáver é encontrado, assassinado exatamente nas mesmas circunstâncias. As vítimas são sempre homens solteiros, bem-sucedidos e, pelo que tudo indica, há algo misterioso em suas vidas. Mas, afinal, qual é o segredo desses homens? Qual é a ligação entre as vítimas e o assassino? Erika e sua equipe se aprofundam na investigação e descobrem um serial killer calculista que persegue seus alvos até achar o momento certo para atacá-los. Agora, Erika Foster fará de tudo para deter aquela sombra e evitar mais vítimas, mesmo que isso signifique arriscar sua carreira e também sua própria vida.

A sombra respirou fundo, saiu da escuridão e subiu as escadas silenciosamente. Para observar. Para aguardar. Para colocar em prática a vingança que há tanto tempo planejava.”

Este é o primeiro livro do autor que leio; ainda não li A Garota no Gelo (primeiro livro da série, que foi muito comentado), mas pretendo ler.

Nessa série, temos mais uma protagonista mulher, a detetive Erika Foster. Ultimamente estou me deparando com muitos suspenses policiais com protagonistas femininas...

Erika está se recuperando da perda trágica do marido, que também era policial, em uma ação que ela comandou. A culpa que sente é imensa. Erika também está pleiteando uma promoção na polícia, mas se sente preterida por ser mulher e por causa da ação desastrada que causou a morte de seu marido e de outros policiais.

Um respeitado médico é assassinado. A detetive Erika é chamada para investigar o caso. Aparentemente, o assassino planejou tudo e não deixou nenhuma pista. Dias depois, o corpo de outro homem é encontrado, assassinado nas mesmas circunstâncias. A partir dali, Erika e sua equipe passam a ter a certeza de que estão lidando com um serial killer. Não demora muito para descobrirem que o assassino é uma mulher.

Não fica difícil deduzir logo de cara que o assassino é uma mulher (antes dos investigadores). O livro nos dá pistas. O leitor conhece a assassina e descobre suas motivações bem antes da equipe de investigação.

Acho um pouco repetitivo que todos os livros policiais que leio fazem questão de mostrar que não há verba para a segurança, que não há policiais suficientes, que o ar condicionado está quebrado, que as máquinas de refrigerante da delegacia não funcionam, etc, etc. Já vi isso em vários livros policiais. Mesmo assim, eles têm profissionais excelentes e exames de DNA muito precisos! Tem até um banco de impressões de orelhas! Sério, gente! Isso está no livro!

Comentários à parte, o suspense é bom, com reviravoltas e fatos inesperados. Pretendo ler outros livros do autor para formular melhor minha opinião sobre sua escrita.


12 de fev. de 2020

DESAPARECIDAS - Kristina Ohlsson

Série Fredrika Bergman – Volume 3
Editora: Vestígio
Ano: 2017
Páginas: 400
ISBN: 9788582863664


Sinopse: A analista criminal Fredrika Bergman e a equipe do inspetor Alex Recht são designados para investigar o brutal homicídio de Rebecca Trolle, uma jovem desaparecida dois anos antes, vista pela última vez a caminho de uma festa. Seu corpo é localizado numa cova rasa em uma remota área florestal e algum tempo depois outras vítimas são encontradas no mesmo local. Fredrika descobre que, à época de sua morte, Rebecca estava fazendo uma pesquisa para sua monografia sobre uma figura pública – alguém com um passado obscuro. A investigadora está profundamente envolvida com o caso, que a essa altura já não é para estômagos fracos, mas quando o nome de seu companheiro entra para a lista de suspeitos, a provação poderá ser grande demais para ela suportar...

No terceiro livro da série, já estamos mais familiarizados com a equipe de Alex. Fredrika, que agora está morando com Spencer, retorna da sua licença maternidade para auxiliar o grupo nas investigações. Peder, que voltou com sua esposa, mudou totalmente seu comportamento para melhor. Alex, agora é viúvo.


A equipe é chamada quando o corpo de uma jovem é encontrado, dois anos após o seu desaparecimento.


O mistério que intrigou Alex por dois anos, quando investigou sem sucesso o desaparecimento de Rebecca Trolle, pode estar perto do desfecho. Descobrir quem a matou não será uma tarefa simples. Além do corpo da garota, a polícia encontrou o corpo de um homem, enterrado há mais de trinta anos. A equipe investiga a identidade do homem morto e se há alguma relação com a morte de Rebecca.


Na minha opinião, a equipe estava muito dispersa. Todos pareciam mais focados em seus problemas pessoais. Alex, por causa da sua viuvez e por causa de uma possível nova paixão. Fredrika por causa de Spencer, que parece estar escondendo um segredo. Apenas Peder parece bem focado no trabalho.


A meu ver, a equipe deixou a desejar no quesito competência. Deixaram de investigar testemunhas e suspeitos fundamentais. A pessoa cujo nome aparecia repetidas vezes na investigação, que ligava todas as coisas, nem ao menos foi visitada! Não se preocuparam nem em saber o seu paradeiro exato. Se a equipe tivesse sido um pouco mais atenta, com certeza, teria evitado mais uma tragédia.


Confesso que fiquei um pouco decepcionada com o final. Não gostei da forma como as coisas aconteceram.