11 de mar. de 2020

A MULHER NA JANELA - A. J. Finn

Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Páginas: 352
ISBN: 9788580418323




Sinopse: Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e... espionando os vizinhos. Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir. Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle?


Não é paranoia se está realmente acontecendo.

Anna Fox é uma psicóloga muito perturbada. É irônico uma psicóloga com problemas psicológicos... Mas, é isso mesmo. Ela sofre de agorafobia, que é o medo de lugares abertos, e não sai de casa de jeito algum.

O livro todo é narrado em primeira pessoa por Anna. Ela nos conta que não vai para a rua há quase um ano. Manda trazer as compras em casa; pede para o inquilino levar o lixo para fora e recebe o psiquiatra e a massagista em casa. Para passar o tempo, fica bisbilhotando os vizinhos e bebendo vinho.

Não sabemos o que aconteceu para ela ficar desse jeito. Mas sabemos que era casada e tinha uma filha. Ao que parece, o marido e a filha estão longe, mas não sabemos o porquê. Anna está sozinha na imensa casa (são cinco andares!).

Anna é uma protagonista imperfeita, faz tudo errado (mistura álcool com remédios controlados e ainda espera melhorar!). Ela também é uma incógnita. No decorrer da leitura, vamos descobrindo os seus segredos.

A rotina de Anna muda quando novos vizinhos, os Russells, se mudam para a casa próxima. Um dia, inesperadamente, Ethan, o filho adolescente, vem visitá-la. No outro, vem a mãe, Jane. Anna gosta dos dois e logo faz amizade com eles.

Em uma das ocasiões em que está bisbilhotando a casa dos Russells, Anna vê Jane sendo esfaqueada por alguém. Mas não consegue ver quem. Ela chama a polícia e tenta vencer sua fobia de sair de casa para socorrer Jane. O problema é que Anna está bêbada e drogada de remédios. Quando chega ao parque, ela desmaia e só acorda no hospital, com a polícia interrogando-a.

A partir daí o mistério aumenta. O marido de Jane, Alistair, nega o acontecido e afirma que a esposa está bem. Mas Anna a viu sendo esfaqueada! O marido traz Jane para a casa de Anna para mostrar que está sã e salva. O problema é que aquela mulher não é a Jane que Anna conheceu! O mais estranho de tudo, é que Ethan confirma que aquela é a sua mãe!

Todos duvidam da sanidade de Anna e a acusam de ter inventado tudo. Ela própria começa a se questionar sobre o que viu e passa a investigar por conta própria, para ter certeza.

Em meio a todo esse mistério, vamos descobrir a verdade sobre o passado de Anna. A narrativa é cheia de reviravoltas. Quando você tem certeza de algo, descobre mais tarde que não era nada daquilo. O final é bem chocante. Adorei todo esse mistério e todas as reviravoltas da trama! É o tipo de suspense que me prende. Nem preciso dizer que estou ansiosa para assistir ao filme, né?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e faça uma blogueira sonhadora feliz!