10 de jan de 2018

QUARENTA DIAS SEM SOMBRA - Olivier Truc

Série: Klement Nango – Livro 01
Editora: Tordesilhas
Ano: 2014
Páginas: 408
ISBN: 9788584190010


Sinopse: É a última noite polar na Lapônia. O sol voltará a brilhar após quarenta dias ausente. Todos esperavam o retorno do tambor sagrado, que, acredita-se, permite a comunicação com o mundo dos mortos. Mas o tambor é roubado, causando comoção na comunidade. Pouco depois, um criador de renas é encontrado morto e mutilado no meio da neve. A investigação dos crimes é liderada pelos policiais Klemet Nango e Nina Nansen. Os oficiais não poderiam ser mais diferentes entre si e precisarão enfrentar condições extremas de temperatura gélida e isolamento para resolver os mistérios.

A história se passa na Lapônia, um lugar com um inverno muito rigoroso onde a população fica quarenta dias sem ver o sol (por isso o título do livro). O cenário é desolador e lindo ao mesmo tempo, a beleza é destacada pela aurora boreal. Os lapões, povo que habita a região, são criadores de renas e levam uma vida de privações, cuidando de suas renas em temperaturas extremas.

Klement Nango, um policial quase se aposentando, está na polícia das renas. Klement recebe uma nova colega de trabalho, a jovem Nina. Os dois se estranham no começo, mas depois formam uma boa dupla de investigação. O trabalho da polícia das renas, como o nome já diz, é cuidar de casos e conflitos envolvendo renas. O tumulto começa quando um antigo tambor da cultura sami é roubado do museu. Logo depois, um criador de renas é assassinado. Será que os dois casos estão ligados? Qual a ligação?

Quando Klement e Nina começam a investigar, descobrem que os casos estão ligados à história do povo daquela região. Também há muita ambição e cobiça envolvida.

O início do livro é bastante lento, demora a engatar. Quase desisti da leitura. Os capítulos finais ficam mais empolgantes. São vários mistérios que, no final, fazem todo o sentido. Só senti falta de saber o que acontece depois. A narrativa termina de uma forma meio abrupta e deixa o leitor pensando no resto. Este é o primeiro livro de uma série, mas não sei se o segundo livro dará alguma explicação a mais sobre o que acontece depois que o mistério é solucionado. Pelo que vi, o segundo livro conta um outro caso, então, acredito que não teremos mais explicações sobre o primeiro.

De uma forma geral, não gostei muito da leitura. É um suspense diferente, envolvendo religião e história. Não é o tipo de suspense que gosto de ler. Mas indico para quem tem curiosidade de conhecer um pouco mais sobre a Lapônia, a aurora boreal, as paisagens, os habitantes e a cultura da região.

2 comentários:

  1. Olá Leila,

    Não conhecia o livro, pela sinopse parecia interessante, mas pela sua resenha vejo que nem tanto, uma pena....bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Comente e faça uma blogueira sonhadora feliz!