19 de out de 2016

GREY - E. L. James

Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 528
ISBN: 9788580577730 

 
Sinopse: Na voz de Christian, e através de seus pensamentos, reflexões e sonhos, E L James oferece uma nova perspectiva da história de amor que dominou milhares de leitores ao redor do mundo. Christian Grey controla tudo e todos a seu redor: seu mundo é organizado, disciplinado e terrivelmente vazio – até o dia em que Anastasia Steele surge em seu escritório, uma armadilha de pernas torneadas e longos cabelos castanhos. Christian tenta esquecê-la, mas em vez disso acaba envolvido num turbilhão de emoções que não compreende e às quais não consegue resistir. Diferentemente de qualquer mulher que ele já conheceu, a tímida e quieta Ana parece enxergar através de Christian – além do empresário extremamente bem-sucedido, de estilo de vida sofisticado, até o homem de coração frio e ferido. Será que, com Ana, Christian conseguirá dissipar os horrores de sua infância que o assombram todas as noites? Ou seus desejos sexuais obscuros, sua compulsão por controle e a profunda aversão que sente por si mesmo vão afastar a garota e destruir a frágil esperança que ela lhe oferece? 

 
Não sei exatamente o que eu esperava desse livro, acho que queria saber o ponto de vista de Grey. Nesse aspecto, o livro atendeu às minhas expectativas.

O que se pode facilmente concluir é que Grey é um tarado. Enquanto Ana se apaixonava, praticamente à primeira vista, ele só pensava em sacanagem. Demorou muito para Grey se dar conta de que estava gostando dela, foi necessário o psiquiatra dizer isso com todas as letras para ele. Continuo com a mesma opinião sobre Grey: que babaca!

A narrativa de Grey não é tão enjoativa quanto a de Ana. Ele é bem mais direto e divertido. Mas também é repetitivo em alguns trechos. A impressão que o livro nos passa é que Grey só pensa em sexo. Não entendo como ele pode ser um empresário tão bem sucedido se quase não fica na empresa, está sempre correndo atrás de suas taras.

Imaginei que o livro contasse toda a história da trilogia dos 50 Tons de forma resumida. Mas não é isso que acontece. O livro Grey termina exatamente com o mesmo final do primeiro livro da trilogia. Então, se você não leu a trilogia dos 50 Tons, ficará sem saber o que vai acontecer com Grey e Anastácia, até sair a continuação.
 

2 comentários:

  1. Oi Leila!! Eu adorei sua definição do Grey, um tarado hehehehehehee eu não curto muito livros com a mesma história e pontos de vista diferentes, se é pra ser assim prefiro que seja no mesmo livro. Mas entendo que autora quis mostra a história por outro ângulo e gostei de saber que a narrativa do Grey é divertida!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo menos a narrativa dele é um pouco menos chata que a da Ana. Não é meu gênero literário favorito...
      Um abraço!

      Excluir

Comente e faça uma blogueira sonhadora feliz!